quinta-feira, 22 de outubro de 2020

5 Coisas que Aprendi Após 1 Semana a Estudar Moda



E uma semana passou... A semana pela qual eu esperei e desesperei nos últimos meses chegou a correr e, tão rapidamente como veio, também se foi embora. Sou oficialmente estudante de moda, algo que me deixa simultaneamente feliz e entusiasmada, mas também com a sensação de ter uma responsabilidade diferente em mãos. Agora, não sou apenas aquela que vos escreve moda por paixão. Agora, escrevo também por profissão (daqui fala a Mariana do futuro). 

Tenho a dizer que, em apenas uma semana, aprendi muito; e tal como tenho vindo a partilhar todas as minhas aprendizagens convosco, achei que não faria sentido proceder de forma diferente agora. Assim sendo, criei uma lista de 5 aprendizagens retiradas da minha primeira semana de aulas - algumas mais teóricas, outras mais práticas; algumas mais óbvias, outras mais inesperadas... mas todas válidas. Muito válidas.

5 Things I've Learned from Fashion School:


1. A moda é um fenómeno social.

Básico, não é? Não, nem por isso. Reflitam bem sobre estas seis palavras e irão perceber que há muito mais do que roupa na indústria da moda. A moda é cultura, é costumes. A moda representa aquilo que uma sociedade vive e é uma forma de expressão tão relevante como a arte. Queres conhecer uma cultura antiga? Começa por olhar para a forma como se vestem - procura diferenças entre classes sociais, procura tendências, procura padrões que de certeza se irão repercutir a nível social. 


2.  As tendências atuais são reinvenções de movimentos de expressão antigos.

Ou, por outras palavras, este século ainda não nos trouxe nada de novo a nível de movimentos artísticos. Melhorámos muito na tecnologia, nos modos de produção... Mas, a nível de arte (e de moda), estamos apenas a reinterpretar aquilo que já existe.


3. O preço de um produto não se baseia apenas no seu custo de produção.

De certeza que já se perguntaram porque é que as marcas de luxo se podem dar ao luxo (passo a expressão) de praticar preços tão elevados, mesmo tendo em conta que o seu custo de produção não é assim tão mais elevado do que uma marca dita "normal". Bem, a diferença está no valor da própria marca. Uma marca tem vida própria: tem um conceito, tem características que a define, tem, consequentemente, valor. E esse valor é costurado e trabalhado tal como as suas peças são... Logo, o preço de uma peça tem de ser o culminar não só da qualidade do produto, mas também da qualidade da identidade da marca em questão. Marcas de valor elevado podem, obviamente, refletir isso nos seus preços.


4. Moda e vestuário não são a mesma coisa.

Pensem na moda como o conceito e o vestuário como o objeto. A moda é muito mais do que simplesmente roupa... É expressão, é identidade, é cultura, é ser. Como disse, a moda é um fenómeno social, ao passo que vestuário está muito mais ligado aos tecidos e aos modos de produção que muitas vezes associamos à moda. Se quiserem estudar a história da moda, irão focar-se em movimentos sociais e culturais. Se quiserem estudar a história do vestuário, modos de produção e inovações serão os vossos temas prediletos. 


5. Uma peça simples cabe tanto na categoria de "design" como uma peça fora do comum.

Entre uma t-shirt branca oversize e um vestido desconstruído com um padrão complexo, qual consideram mais digno de ser design? Bem, aqui há rasteira, porque a resposta certa é: os dois. Ambos são design... E, na verdade, tudo é design. Cada objeto (ou, às vezes, para além disso) que utilizas no teu dia-a-dia é fruto de uma criação de alguém, por mais simples que seja. A cama onde dormes é design. A chávena onde bebes café é design. A roupa que vestes é design. E quando entenderes isso, tenho a certeza de que irás dar muito mais valor a quem cria. 


Na verdade, aprendi muito mais do que isto. Foi uma semana de um verdadeiro "abre-olhos" para a indústria e estou muito feliz por ter a oportunidade de absorver todo este conhecimento... Porque sim, nos próximos dois anos, considerem-me uma esponja! Quero aprender o máximo que puder para, futuramente, poder partilhar convosco a minha experiências e mostrar ao mundo que a moda é muito mais do que a superficialidade a que é tantas vezes associada.

xoxo,

M.

Publicar um comentário