quinta-feira, 29 de outubro de 2020

5 Factos que Agravam a Poluição da Indústria da Moda

A indústria da moda, nos dias de hoje e na sua maioria, não é sustentável. Acho que todos já começámos a perceber isso. No entanto, porquê? Porque é que esta indústria é tão criticada pelo consumidor consciente? São várias as práticas que eu já expus nas minhas redes sociais e que respondem a estas perguntas; no entanto, após conversar com alguns de vocês, apercebi-me de que ainda há muita informação (negativa) que a indústria parece estar a conseguir esconder.


Mas depois desta publicação não. Depois desta publicação, a informação passará a estar do teu lado e poderás escolher o que fazer com essa responsabilidade. 


 1. Apenas 1% das roupas são recicladas.


Apesar da reciclagem ser uma constante na nossa vida, para a indústria da moda ainda é uma miragem. No facto 5 explico melhor o porquê desta percentagem tão diminuta, mas, até lá, vou responder ao outro lado da questão: então se as roupas não são recicladas, o que lhes acontece? A maioria vai parar aos aterros, mas também há outra prática que, apesar de cada vez menos escolhida, ainda é uma realidade.


2. No setor de luxo (mas não só), muitas marcas queimam as peças que não são vendidas, de modo a manter o stock exclusivo.


Alguma vez pensaram no que acontece às peças que não são vendidas? Foi precisamente para escoar stock que pontos de venda como os outlets foram criados. Contudo, para o setor de luxo onde a exclusividade é o core da marca, quanto mais difícil for para o consumidor obter os seus produtos, melhor. Assim, enquanto existem marcas que escoam estes produtos com descontos para empregados ou promoções em loja, há outras que optam por queimar (sim, leram bem) os produtos que não são vendidos. O único objetivo? Nunca ter de baixar o preço dos produtos exclusivos. 


3. Uma grande parte das peças devolvidas compradas em lojas online de fast fashion vão parar ao lixo em vez de serem colocadas à venda de novo.


E porque todos os setores têm o seu impacto, agora vamos falar da tão criticada fast fashion. Já expliquei este modelo de negócio vezes sem conta e, concordando ou não com ele, não é disso que quero falar deste ponto. Vamos falar de devoluções, nomeadamente daquelas que são feitas após uma compra na loja online. 


Ora, imaginem que compram online uma peça em dois tamanhos - M e L - para saber qual vos assentará melhor. Quando as peças chegam, optam pelo L e devolvem o M. Sabem onde muito provavelmente vai parar esta segunda peça? Ao lixo. É que o custo de produção de uma peça de fast fashion é tão baixo que lhes é mais favorável monetariamente colocar a peça no lixo do que despender de recursos para a preparar de novo para a venda. 


4. Os cabides, utilizados em loja para expor peças, são usados apenas uma vez.


Não me vou alargar muito neste tema, pois estive um dia inteiro a explorá-lo no meu Instagram. Contudo, aqui vai: não, a maioria das lojas físicas não reutiliza os cabides onde as peças estão expostas. Uma grande parte vai parar diretamente ao lixo após a peça ser vendida (daí também uma boa parte das lojas não se importar se o cliente quiser  levar os cabides com ele). A razão, essa segue a lógica do ponto 3. 


5. A reciclagem de peças é extremamente difícil porque, quando estas são criadas, o seu design torna praticamente impossível a reutilização de materiais. 


Vamos tomar o exemplo de umas calças de ganga. Como devem imaginar, esta peça é composta por diversos materiais: para além da ganga, encontramos o material que compõe as costuras, o material do fecho ou dos botões, entre outros. Ora, quando vocês fazem a reciclagem do vosso lixo, também separam o plástico do cartão, certo? Na indústria da moda, o mesmo tem de acontecer. Para uma peça ser reciclada, todos os materiais têm de ser separados e, como devem imaginar, isso é bastante difícil. 


Assim, uma das soluções para facilitar este processo passa mesmo por uma reinvenção do design, para que uma peça possa ser constituída 100% pelo mesmo material ou, então, para que haja uma separação destas mais fácil, menos custosa e mais rápida. 


Já sabias alguns destes factos? Como disse, apesar de saber que esta informação pode ser difícil de gerir ao início, é importante estarmos munidos dela para poder tomar decisões mais conscientes e informadas.


xoxo,

M.

YouTube Instagram | Facebook | Pinterest | Podcast

Publicar um comentário