quarta-feira, 22 de abril de 2020

Diário da Quarentena #1 Sentimentos


segunda-feira, 13 de abril de 2020


Tinha pensado fazer este formato em vídeo, mas, na verdade, exprimo-me muito melhor pela escrita. Hoje é segunda-feira e hoje também inicio uma pequena viagem por uma semana de análise de sentimentos - não no sentido muito exato da coisa, mas no sentido de, mais tarde, quando pensar que me esqueci da realidade que vivi nestes dias, ter algo para me relembrar.

Foi uma segunda-feira muito normal (falando em termos de quarentena style), mas não consegui deixar de pensar que, se tudo estivesse a decorrer dentro da normalidade, neste dia estaria a voltar para o Porto, para a minha rotina de faculdade, depois de uma semana de férias. E queria tanto que isso acontecesse... Queria meter-me num autocarro e fazer a viagem que sempre odiei (tão engraçado como agora desejamos fazer as coisas que antes odiávamos, não é?) e fingir que nada disto aconteceu. Mas como não posso fazer isso, enterrei-me em trabalho para ver se me esqueço. Guess what? Resultou, resulta sempre.

terça-feira, 14 de abril de 2020

Hoje acordei com vontade de fazer coisas, o que é estranho, porque normalmente essa motivação esgota-se à segunda-feira e depois volta lá para quinta. Tinha mil e uma coisas para fazer, mas o inesperado aconteceu... Algo que não acontecia há um mês: precisava de sair de casa. Vá, na verdade, não precisava mesmo, mas a minha mãe tinha algumas voltas a fazer (supermercados e afins) e como algumas incluíam coisas do meu domínio, lá fui eu usar a desculpa para ir fazer um passeio de carro. E foi só mesmo isso, não saí do carro.

Soube bem ver a rua, as pessoas, o sol. Mas foi estranho ao mesmo tempo... Está tudo diferente, as pessoas têm caras de assustadas, os sorrisos estão tapados por máscaras e não se ouve um pio (só o dos passarinhos). Conclusão? Tão rapidamente não preciso de voltar a sair, acho que me fico pelo meu jardim.

quarta-feira, 15 de abril de 2020

Nas notícias, ouvi que há a possibilidade de as faculdades reabrirem presencialmente. Wow, esperança, um sentimento que já não sentia há uns dias... Mas pronto, um dia de cada vez, é esse o meu dilema para estes dias.

quinta-feira, 16 de abril de 2020

Nunca gostei de quintas-feiras, mesmo quando estava na faculdade. Tenho um horário muito corrido, a minha hora de almoço é curtíssima, nem dá para respirar e parece que é o dia onde recebo mais trabalhos da faculdade... E, claro, em aulas online nada disso mudou. Pelo menos em casa tenho mais uns segundos para almoçar porque só tenho me de deslocar do escritório até à cozinha... Oh well, quase que parecem dias normais, mas depois vejo as notícias e apercebo-me do que estou a viver.

Ah, ontem apaguei a única aplicação de notícias que tinha no meu telemóvel e está a saber mesmo bem controlar os momentos do meu dia onde quero receber essas informações.

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Tenho aprendido que talvez me esteja a enterrar demasiado em trabalho só para esquecer o facto de estarmos em quarentena. Ao olhar para os meus últimos dias, ao olhar para o que escrevi aqui neste diário, percebi que a minha vida tem girado à volta disso. Na verdade, o facto de ter surgido um novo projeto na minha vida nos últimos tempos tem contribuído muito para isso, mas, simultaneamente, não posso deixar de notar que esse tem sido o meu escape para a vida que estamos a viver, para as saudades que sinto da vida que vivia antes. Gostava de conseguir mudar isso, só não sei bem como.


sábado, 18 de abril de 2020

Adoro tirar os meus sábados para momentos de self-care e, na quarentena, ainda me tem sabido melhor... Aproveito para fazer uma máscara, cuidar do meu corpo, relaxar e reconectar-me comigo mesma - é tão bom! Hoje recebi o primeiro feedback sobre este meu novo projeto (gosto de sempre de partilhar os meus projetos primeiramente com amigos para ver a reação deles) e foi tão bom que me sinto ainda mais motivada para continuar! No geral, foi mesmo um bom dia!

domingo, 19 de abril de 2020

Mesmo aos domingos, é estranha a culpa que sinto quando faço algo não-produtivo. Às vezes queria estar apenas a descansar, deitada no sofá a ver um filme, mas tenho sempre aquela voz no fundo da minha cabeça a dizer "devias estar a trabalhar, devias estar a trabalhar". Alguém sabe como se apaga essa voz? É que eu bem preciso... Mas pronto, tirando isso foi um bom dia. Aliás, olhando para trás foi uma boa semana. Tendo andado a viver os dias de forma calma e ponderada, sem demasiada ansiedades, mas com alguma esperança - espero que também consigam passar assim cada dia.

Muito obrigada por me terem acompanhado ao longo desta semana.
O que gostavam de ver mais neste Diário de Quarentena? Outfits? Maquilhagem? O que faço em dia? Contem-me, fico ansiosa por saber!

xoxo,


Enviar um comentário