In Personal

A Caloira vai à Praxe || Regresso às Aulas #6


Olá!
       Hoje já vos escrevo oficialmente como caloira da Universidade do Porto e, apesar de só terem passado alguns dias, já tenho tanto para partilhar com vocês. O tema de hoje é, sem dúvida, o tema mais polémico que podemos abordar atualmente, sempre que temos a universidade como foco de conversa... e foi por isso mesmo que decidi partilhar a MINHA experiência, o MEU ponto de vista, para que conheçam mais um testemunho do que é este início da vida universitária. Não se esqueçam de que não se devem influenciar, mesmo ao ler esta publicação, por opiniões de outra pessoa em relação a este tópico, pois a praxe não é algo fixo, é algo que varia de universidade para universidade, de pessoa para pessoa, de alma para alma. Dito isto, vamos então passar para esta pequena história de como a caloira foi até à praxe!


       Segunda-feira, às 8h01. Esta foi a minha hora de chamada para o que mais temia só de pensar na palavra "universidade". Admito que tremia por todos os cantos, pois não sabia bem o que esperar... já tinha ouvido tão boas opiniões sobre a praxe, já tinha ouvido tão más opiniões sobre a praxe, já tinha ouvido de tudo e mais alguma coisa, mas, mesmo assim, não sabia o que me esperava. 
       Começou tudo calmo, entre apresentações simpáticas que nos ajudavam a combater a vergonha e a conhecer novos colegas, até esclarecimentos sobre todas as dúvidas que poderíamos ter, o ambiente era bastante agradável e sentia-se a milhas o espírito de entreajuda que se vivia naquele espaço. Até que começou algo que temia... quanto mais tempo passava na praxe, mais me apercebia o quanto me estava a desinteressar em relação ao verdadeiro motivo pelo qual tinha entrado na universidade. Quer seja por ouvir um "ah, essa palestra não te vai ajudar em nada" da parte dos doutores (termos técnicos à parte), ou até mesmo por sentir que eu própria estava a pôr as aulas em segundo lugar, comecei a repensar qual seria o meu lugar na praxe, ou aliás, se eu tinha um lugar na praxe. 
       "Mas foste mal-tratada? Porque é que não te sentias bem lá?", devem perguntar vocês. Não, não fui nada mal-tratada, senti-me bem naquele ambiente, senti que estava a conhecer o meu curso e as pessoas que me iriam rodear ao longo dos próximos três anos da minha vida. No entanto, também sentia que estava a deixar coisas importante para trás e, tal como em tudo, somos obrigados a fazer escolhas e a definir prioridades durante a nossa vida... e, naquele momento, a minha prioridade não era a praxe. Gostei, sim, mas um dia foi suficiente para sentir realmente o que era "ser praxada". 
       Aconselho toda a gente a ter esta experiência, por mais medos ou dúvidas que tenha, já que a praxe faz parte da experiência universitária e, por isso, não há problema nenhum em passar por ela, nem que seja por uma única hora. É importante passar por este tipo de momentos para percebermos um pouco mais o tipo de pessoas que somos, os ambientes em que nos enquadramos e qual é o nosso caminho na vida universitária, ou até mesmo na vida em geral. Qualquer escolha que façam será a certa, se sentirem que estão felizes com ela. Sejam fiéis a vocês mesmos, às vossas opiniões, aos vossos interesses e tenho a certeza de que irão viver momentos únicos na universidade!

xoxo,

Related Articles

8 comentários:

  1. Eu não participei na minha Praxe e ainda bem porque pelo o que vi, certas coisas vão contra o tipo de pessoa que sou.
    Por isso ainda bem que não participei e fui fiel aos meus princípios.
    Beijinhos :)
    https://dailyvlife.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, se estás feliz com a tua escolha, é porque foi, sem dúvida, a certa! É isso que cada um tem de avaliar dentro de si :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. O que importa é que te sintas bem e feliz na tua universidade, quer andes na praxe ou não. Os amigos fazem-se à mesma, criam-se laços fortes e contínuas com a vida universitária :)
    Beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente! É verdade que a praxe ajuda à integração, mas não é o único meio para isso!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. ainda que gostaste da experiência, mas acho que fizeste uma escolha acertada ao pôr as aulas em primeiro lugar. Não penses que não é por isso que não fazes amigos ou não podes trajar :) boa sorte para o resto do percurso!

    https://algodaodoce1234.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, estou feliz com a minha decisão e é isso que importa! Muito obrigada pelo apoio! Beijinhos

      Eliminar
  4. A praxe é realmente um assunto polémico e as opiniões nunca são fixas, porque o ambiente das mesmas varia mesmo de universidade para universidade.
    Por exemplo, eu não me senti nada confortável na praxe da minha universidade e desisti logo no dia a seguir. No entanto, aconselho que toda a gente participe, pelo menos, um dia para formar a sua opinião. E não concordo nada com praxes que se sobreponham às aulas. Isso é simplesmente ridículo, e acontece com muita frequência.

    XOXO,
    Ciela Unlimited |cielaunlimitedblog.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha opinião é exatamente essa, concordo com cada palavra! No meu caso também não me senti bem, por isso saí, tão simples quanto isso! Mas não tenho nada contra quem gosta, até acho bem :)
      Beijinhos

      Eliminar

Thank you so much!