In Travelling

Get to Know: Passadiços do Paiva


Olá!
       Primeiro, quero pedir-vos desculpa por ter de atrasar as publicações desta semana um dia, mas estou a ter uma daquelas semanas loucas de testes que não perdoam. Prometo que é mesmo uma exceção!
       Agora vamos passar ao que interessa, que é a publicação de hoje. Seguindo um pouco a ideia do post "Get to Know: Bacalhôa Buddha Eden", quis trazer-vos mais um exemplo de como podes ser um turista dentro do teu próprio país. Porque sim, apesar de ser um cliché dizer isto, o nosso país tem coisas verdadeiramente bonitas que devem ser aproveitadas por todos: desde os turistas estrangeiros até aos locais
que passam diariamente por este mesmo sítio e, por isso, não conseguem apreciar a beleza. Mas dito isto, venho então mostrar-vos um local que faz jus à expressão "Sê um turista no teu próprio país." - os Passadiços do Paiva.
 
       Os Passadiços do Paiva localizam-se em Arouca, junto ao rio Paiva. Estes passadiços levam-nos por um caminho de 8km por entre montanhas e vales, acompanhando o curso natural do rio e rodeando-nos de toda uma grande beleza natural, nada alterada pela mão humana (algo que acontece muitas vezes nas paisagens naturais mais turísticas). Apesar de ser um percurso complicado, por ser relativamente comprido e ter imensas escadas, tanto para subir como para descer, cada segundo do caminho vale a pena e deve ser aproveitado.
 



 
   Este percurso tem dois pontos de partida: Areinho ou Espiunca, onde deixamos os nossos carros e iniciamos a caminhada. A única situação mais complicada é que o ponto de partida é, então, diferente do ponto de chegada, logo para voltar ao estacionamento temos duas opções: ou voltamos de táxi ou fazemos os 8km no sentido contrário, tendo então um percurso total de 16km. E agora questionam-se vocês, será que eu fui preguiçosa ou não? Claro que não! Fiz os tais 16km, mas sinceramente não aconselho muito, pois é uma caminhada realmente difícil e subir todas aquelas escadas é uma tortura autêntica que parece não acabar. Para percebem o grau de dificuldade, eu, que sou uma pessoa relativamente ativa, acabei os 16km com as pernas a tremer que nem varas verdes.




 
       A melhor qualidade dos Passadiços, para mim, é o facto de serem diversificados ao longo de todo o caminho. Por exemplo, encontramos sempre pequenos miradouros nas zonas mais bonitas e mais fotogénicas, em certas partes do percurso podemos descer até ao rio, passamos ainda por uma ponte suspensa (onde eu ultrapassei as minhas vertigens, palmas para mim), e muito mais que não vou contar porque também quero deixar algo para a curiosidade!




 

Algumas recomendações para quem quer também visitar os Passadiços do Paiva:
  • Escolham dias com pouca gente, pois as instalações em si não parecem preparadas para demasiadas pessoas simultaneamente;
  • Escolham dias de visita em que o calor não seja muito intenso, porque uma grande parte do percurso é feita totalmente ao sol;
  • Como devem imaginar, aconselho-vos também a protegerem-se do sol, quer seja com um chapéu ou com protetor solar;
  • Levem roupa prática e calçado de desporto muito confortável, porque vão agradecer por irem o mais confortável possível, acreditem;
  • Comprem as entradas online pois assim são apenas 1€, enquanto se comprarem no local custará 2€.





 
      E aqui está uma pequena amostra da beleza dos Passadiços do Paiva, tenho pena de não conseguir mostrar-vos cada pormenor, mas isso é apenas mais um motivo para irem visitar este ponto turístico! Se chegarem mesmo a visitar, contem-me! Ficaram curiosos?
 
xoxo,
 
M.

Related Articles

0 comentários:

Enviar um comentário

Thank you so much!